BLOGS DE MP3 E A SOCIEDADE CAPITALISTA
Postar discos em blogs prejudica os artistas? Quem compra discos? Qual o papel das gravadoras? Como bem previu Drucker uma nova era de mudanças chega e o mundo precisa de reorganizar
Por Gilberto Custódio Jr., especial para O Grito!

“Toda organização de hoje precisa embutir em sua própria estrutura a gerência da mudança. Ela precisa embutir o abandono organizado de tudo aquilo que faz. Precisa aprender a perguntar a cada poucos anos, a respeito de cada processo, produto, procedimento ou política: “Se já não fizéssemos isso, será que começaríamos a fazer agora, sabendo o que hoje sabemos?” E se a resposta for negativa, a organização deve perguntar: “E o que fazemos agora?” Ela precisa FAZER alguma coisa, e não apenas outro estudo. Cada vez mais as organizações terão que PLANEJAR o abandono ao invés de procurar prolongar a vida de uma política, prática ou produto de sucesso – uma coisa que até hoje somente algumas grandes empresas japonesas se dispuseram a fazer”.

Sociedade Pós-Capitalista ~ Peter Drucker. Página 60.

Ontem li esse trecho do clássico de Peter Drucker (1909-2005), lançado nos EUA em 1993, e é impressionante o quanto esse guru da economia e administração era um visionário. Na hora associei com a indústria musical e, mais profundamente, com as gravadoras. “Já passou da hora de abandonarem o CD”, pensei. Nisso entra a discussão dos blogs de mp3. Mas antes quero comentar mais sobre o livro.

Drucker defendeD a idéia de que a cada dois ou três séculos, ocorre na História uma grande transformação, que obriga a sociedade a se reorganizar. Estamos numa dessas fases. No livro ele cita o ano de 1320 e o nascimento das cidades e outras mudanças. Depois cita com muita propriedade e exemplos mudanças cruciais que ocorreram em 1520 e 1820. Ele diz que as pessoas nascidas nesses anos não conseguiam imaginar o mundo em que seus avôs viviam e no qual nasceram seus pais. Até que ele chega a nosso momento atual. Estamos numa fase de profunda transformação, que nos levará a uma sociedade pós-capitalista e quem nascer em 2020 não vai conseguir imaginar o mundo que nós e nossos pais vivemos. O livro é genial, até arrepia.

Mas o assunto que gostaria de abordar é a legitimidade de postar em blog discos que acabaram de ser lançados. É óbvio que prejudica as vendas dos CDs e como conseqüência prejudica o artista e a gravadora. Todos perdem dinheiro. E sem esse dinheiro, será mais difícil para a banda gravar novas composições decentemente, organizar turnês e todo o ciclo acaba sendo prejudicado, resultando, no pior cenário possível, que a banda que tanto adoramos finalize suas atividades e o dono daquela gravadora independente genial prefira dedicar seu tempo livre organizando shows, à família ou mesmo gastando dinheiro no boteco na esquina. Melhor perder dinheiro com cerveja. Essa é a realidade, sem hipocrisia. A tendência é piorar cada vez mais.

Acontece que não adianta lutar contra o blog de mp3. É tempo perdido. Como disse o Six nos comentários do meu blog, Lazer Guided Melodies, “A verdade é que as pessoas vão acabar pegando esse álbum mais cedo ou mais tarde, seja em algum outro blog, seja no soulseek, seja em torrent. Se elas não pegarem, duvido que, mais tarde, o comprem. Não conheço ninguém que compre um disco hoje em dia sem ter ouvido antes.”. Eu aposto que nossos netos não vão conhecer ninguém que compre discos. Ponto. Ao que ele mesmo pergunta: “Não é melhor ser ouvido em MP3 do que não ouvido em lugar nenhum?”. É exatamente esse o ponto. Nunca as bandas foram tão ouvidas quanto hoje em dia. Qualquer banda, das mais desconhecidas, será facilmente ouvida. Se for boa, dificilmente passará despercebida. Resta essa banda saber como ganhar dinheiro.

O conceito de músicos viverem de música através da venda de gravações está morrendo. O músico vai ter que sair e tocar ao vivo para ganhar dinheiro. Como era no passado. “E os músicos que não tocam ao vivo?”, você me pergunta. Esses serão as vítimas da mudança. Esses terão que arrumar um emprego decente e fazer da música um hobby. Toda mudança tem suas vítimas. Outra vítima será a gravadora, o que é realmente triste, já que as boas gravadoras nos filtram a boa música. São eles que ouvem milhares de bandas (a maioria muito ruim) e separam as boas. Talvez uma espécie de curadoria musical substitua a figura do homem por trás da gravadora independente.

Uma outra questão é bastante pertinente: qual a razão de manter um blog de mp3? Oras, são muitas, principalmente aqui no Brasil. Nós nunca tivemos acesso fácil aos discos. Sempre pagamos muito mais caro que os gringos. Quando digo muito, digo algo em torno de sete vezes mais. Lá um disco custa 10 paus. Nós pagamos 25 num disco nacional e uns 60 num disco importado. Isso sem contar que o salário deles é maior que o nosso (mesmo numa mesma função). Ou seja, só a elite brasileira consumia a música independente feita no mundo. Hoje em dia isso mudou. Vemos a verdadeira democratização da música. Nunca tivemos acesso a tanta boa música quanto hoje em dia e isso já está rendendo bons frutos: bandas incríveis estão surgindo, com ótimas referências e qualidade. Os DJs tocam as últimas novidades nos clubes. Os críticos musicais estão mais competentes (existem controvérsias). Agora só falta democratizarem os instrumentos musicais e tudo fica perfeito. Pois enquanto lá fora qualquer bandinha toca num micro-clube com equipamento de primeira linha, aqui a coisa ainda está bem precária.

O Gustavo, do blog Take the Pills e o responsável por levantar toda essa questão na lista de discussão indiepop-list, disse: “provavelmente se morasse na Suécia ou no Reino Unido teria um blog diferente, e se tivesse bastante dinheiro sobrando, compraria todos os CDs das bandas que gosto. A realidade aqui é outra… é fato!”. Concordo. “Aliás, comprei o 7″ da Cloudberry e até hoje não veio….a vingança de Roque! Hehe”, continua. Pois saiba que eu postei os 7”s da Cloudberry e recebi um e-mail privado do próprio Roque me agradecendo por divulgar a gravadora. Num dos manifestos que ele publica junto com os 7”s, ele defende a idéia dos blogs de mp3. É isso ae. Amanhã voltarei com a programação normal, já tenho uns discos engatados por aqui. Vou lá continuar lendo Peter Drucker.

* Gilberto Custódio Jr. é jornalista. Ligado ao meio independente já foi fanzineiro e criador do Esquizofrenia Zine, considerado uma das mais importantes publicações indies do país. Atualmente assina o blog Lazer Guided Melodies, onde publica discos de bandas, além de discutir pontos interessantes da atual conjuntura do mundo pop, como o texto acima.

Sem mais artigos