AS DIVAS DA GORDURA
Cotada para aparecer em solo brasileiro no Tim Festival, Beth Ditto reina linda com a pança de fora desde 2006, ao lado dela está a peso pesado Adele que começou a carreira outro dia
Por Fernando de Albuquerque

Saboeira declaradíssima, defensora nata dos direitos homosexuais e dona de uma obesidade que beira a morbidez. Se fossemos definir Beth Ditto com algumas orações, seriam essas. Ela encarna com muita veemência a tríade sexo, drogas e música e desponta nas paradas de sucesso não pelo seu talento, mas sim pela própria bizarrice e atitudes escrotas.

Ditto reiventa a visualidade e o próprio conceito de musa. Ela é obesa, aparece nua pra todos verem, usa sapatinhos e vestidinhos berrantes. Nos shows, fica de calcinha, mostra a xota peluda e cheira pó. E nesse entremeio de múltiplas atitudes ela está muito à frente de Amy. Esta se gaba por cheirar pó como quem usa perfume e já está ficando meio démodé!

Ditto é vocalista do Gossip e já foi eleita pelo New Musical Express como a pessoa mais cool do jet set musical do momento. O orgulho da moça frente a sua pança é tanto que ela posou pelada para a mesma revista, fez striptease no palco, recebeu a indicação de mulher mais sexy de 2007 e já tem discípula: Adele.

O Gossip surgiu no Arkansas e se define como uma banda punk. Na verdade as referências podem até estar nesse estilo musical, mas a verdade é que a sonoridade no palco passa longe disso. O vocal de Beth, por exemplo, se assemelha, e muito, ao timbre negro do gospel ianque. Eles agregam uma atmosfera bem suingada à visceralidade de sua dita “aura” punk. E aí poderíamos elencar a faixa que os levou ao sucesso “Stading In The Way of Control”.

E Ditto, claaaaaro, é quem encarna o próprio grupo e alguns até apostam numa futura carreira solo. Não seria de se espantar se ela aparecesse sozinha, empunhando um microfone e lançando CDs nos quatro cantos do mundo. O Gossip é pouco pra bunitáh. As letras, mixadas ao timbre da voz, mostram uma enorme potência que ofusca todo o trabalho por trás.

Tudo isso expresso em 97 quilos de pura polêmica. Nessa personalidade intempestiva ela já declarou que não depila as axilas, não usa desodorante, namora um travesti e já parou num hospital psiquiátrico. Mas à deriva de todo o mal exemplo para um montante de indies e emos que amam a banda, Ditto tem gogó. Ela sabe usar o que tem e sabe que é boa como cantora. Faturaria zilhões se fosse magra e se convertesse num ídolo pop. Mas ainda bem que prefere assumir as banhas e tudo mais que a cerca.

Flor da idade
Na mesma linha de Ditto está Adele. Ela acabou de chegar aos 20 e lançou, em Janeiro, o álbum 19, que saiu na Inglaterra. Um mês antes do álbum chegar às prateleiras, e ser reproduzido aos montes em blogs do mundo todo (aleluia) ela recebeu o prêmio de escolha da crítica do Britsh Awards e já se tornou uma das maiores apostas do ano. Além disso, venceu uma votação na BBC para o posto de Sound of 2008.

Adele Laurie Blue Adkins, esse é o nome completo dela, é o inverso de Ditto.

A única semelhança entre elas é a banha. Quase o mesmo peso. No campo musical, por exemplo, essa última tem como linha o universo adolescente cor-de-rosa pela frente e no palco costuma se dedicar à música mesmo. Recria arranjos das canções durante as apresentações só com voz e violão.

Seguindo a mesma linha de Kate Nash e Amy, Adele mistura soul e jazz, adoçando tudo com uma boa medida de pop. Citando Etta James e Ella Fitzgerald como referência sua voz parece ter aprendido, in loco, com essas divas. Não é a toda que, em algumas rodas apelidaram-na de “a nova Amy”. Mas sem nenhum rehab. Pelo contrário. Ela usou o dinheiro dos CDs que vendeu para comprar roupas.

Comportadíssima, meio brega e gordinha. Adele está na tendência de quebrar paradigmas de beleza entre a mulheres e se continuar tendo foco na vida, daqui a pouco está com uma conta milinária. Sem gastos com drogas.

GALERIA

Beth Ditto


Adele


Sem mais artigos