B-52’s (Foto: Divulgação)

GEL E OMBREIRAS
Banda americana está de volta tentando emplacar o estilo new wave que a consagrou
Por Gilberto Tenório

B-52’s
Funplex
[Astralwerks, 2008]

Para quem está na casa dos 30 anos de idade a expressão new wave deve lembrar mais do que um gel para cabelos que prometia o tão sonhado, e horrendo, ‘brilho molhado’. O estilo era uma espécie de versão mais comercial do punk e teve na música alguns dos seus maiores representantes. O B-52´s, banda americana natural da Georgia, foi um dos grupos que mais se destacaram dentro desse cenário colorido e cheio de laquê. No ostracismo há quase duas décadas, a banda está de volta com Funplex – primeiro álbum de estúdio da turma desde Good Stuff (1992).

Contando com a produção do britânico Steve Osborne, que já trabalhou com outros nomes oriundos dos anos 1980 como New Order e Happy Mondays, Funplex é um disco que mantém as principais características da banda: vocais estridentes, letras divertidas e arranjos dançantes, ou seja, pintoso até dizer basta. No limite entre o moderno e o datado, o trabalho deve despertar a curiosidade das gerações mais novas que, muito provavelmente, só devem ter como referências do quarteto as imagens globais de arquivo da época em que eles se apresentaram no Rock in Rio, em 1985 ou as festas na linha ‘back to 80´s’.

É inegável que a sonoridade retrô do B-52´s tem seu charme, especialmente quando quem está a frente é a voz marcante de Kate Pierson – cantora que já provou seu talento cantando com outros artistas como Iggy Pop e R.E.M. Entretanto, na tentativa de resgatar os tempos áureos, o grupo mostrou que faltou criatividade para criar clássicos do nível de “Private Idaho” e “Legal Tender”. Mesmo com a tentativa de introduizr elementos eletrônicos às canções, Funplex não consegue ir além do saudosismo oitentista tão comum nos últimos anos. Ao término de suas 11 faixas, o CD se mostra um produto mediano, onde se destacam alguns poucas canções como “Pump”, “Ultraviolet” e a faixa-título.

Apesar de estar há 16 anos sem lançar um novo disco, o B-52’s nunca deixou de fazer shows durante todo esse tempo. Com Funplex eles dão o pontapé inicial para resgatar a carreira e, se não retornaram com um grande trabalho, ao menos dá pra se divertir lembrando de como era engraçado a tal da moda new wave.

Novo clipe é síntese da banda
“Funplex”, faixa que dá nome ao novo trabalho do B-52’s aborda a velha temática do consumismo exagerado e da cultura do shopping center – temas caros a sociedade americana desde sempre. Nos versos, frases como “I’m a pleasure seeker / Shopping for a new distraction” (“Sou uma caçadora de prazeres / Procurando por uma nova distração) dão o tom hedonista da canção que parece ter sido feita para falar de um momento no qual todos estão preocupados apenas com seus próprios pequenos prazeres, inclusive a alegria de voltar a gravar um CD.

O clipe se passa em um shoping com decoração bem new wave (neon é o que não falta no cenário). A produção é toda filmada em chroma key (outra técnica que remete aos finados anos 1980) e mostra os integrantes da banda se divertindo em seu parque de diversões consumista. E tome guitarras sendo tocadas em escadas rolantes, milk-shakes gigantescos e penteados infames como os sinais inconfundíveis de que esse só poderia mesmo ser um clipe do B-52’s.

NOTA: 6,5

B-52’s – “Funplex”

Sem mais artigos