O de quadrinhos anunciou neste final de semana os vencedores deste ano. O álbum , de , lançado pela editora Veneta, foi o vencedor do Grampo de Ouro. Em segundo lugar ficou A Arte de Charlie Chan Hock Chye (Pipoca & Nanquim), de Sonny Liew e em terceiro Eles Estão Por Aí (Todavia), de Bianca Pinheiro e Greg Stella (50 pontos e oito listas).

O prêmio é elaborado a partir das listas individuais de 20 jornalistas, críticos, artistas e demais profissionais ligados aos quadrinhos no Brasil.

Ayako é um dos maiores clássicos dos mangás e um marco na carreira de Tezuka, autor mais conhecido por trabalhos como Astroboy e A Princesa e o Cavaleiro. A obra aborda as transformações sofridas pelo Japão após a Segunda Guerra Mundial e conta com um trabalho bem complexo da construção de personagens. Veja nossa resenha. A obra também foi eleita a melhor HQ do ano na lista de Melhores do Ano aqui da Revista O Grito!, em dezembro do ano passado.

Completam a lista do Prêmio Grampo A Revolução dos Bichos (Companhia das Letras), de Odyr (47 pontos); Música para Antropomorfos (Zarabatana Books), de Fabio Zimbres e Mechanics (41 pontos); A Origem do Mundo – Uma História Cultural da Vagina ou A Vulva vs O Patriarcado (Companhia das Letras), de Liv Stromqüist (38 pontos); Cinco Mil Quilômetros por Segundo (Devir), de Manuele Fior (37 pontos); Me Leve Quando Sair (independente), de Jéssica Groke (34 pontos); Refugiados: A Última Fronteira (DarkSide Books), de Kate Evans (34 pontos); e QP (Lote 42), de Power Paola (30 pontos).

Mais detalhes do prêmio e das votações individuais de cada jurado no site do Balbúrdia.

Sem mais artigos