UDERZO E SEUS AMIGOS
No parabéns de 80 anos de Albert Uderzo, criador de Asterix, 34 artistas reinventam o personagem e prestam homenagem ao desenhista
Por Paulo Floro

ASTERIX E SEUS AMIGOS – UMA HOMENAGEM A ALBERT UDERZO
Vários artistas
[Record, 64 págs, R$ 25]

Albert Uderzo, o francês que ao lado de René Goscinny criou o memorável personagem Asterix completa 81 anos em 2008. Ano passado, para comemorar a data redonda foram chamados 34 artistas para mostrarem sua versão dos gauleses e assim, fazer uma homenagem ao desenhista. Um ano depois, a Record lança Asterix e Seus Amigos no Brasil.

Entre os artistas nomes como Juanjo Guarnido, Vicar, Zep, Boucq, Jean Van Hamme, Milo Manara e David Lloyd. Como a maioria dos autores são europeus, muito do valor do livro se perde, já que as referências ficam perdidas. Como é sabido por qualquer leitor de quadrinhos, HQs européias são escassas no Brasil.

As soluções encontradas por cada convidado surpreende o leitor a cada capítulo do volume. A mais curiosa – e engraçada – é a de Manara. Ele coloca uma de heroínas gostosas para se vingar dos gauleses por todas as surras homéricas que os romanos já receberam. Destaque também para Achdé e Gerra, autores do caubói Lucky Luke, após a morte de seu criador Morris, que ao tomar a poção mágica gaulesa conseguiu sua rapidez no gatilho característica.

Esteticamente, os artistas se dividiram entre fazer uma releitura dos personagens e trazê-los para seu próprio universo. Vicar, o artista chileno que desde os anos 1970 é responsável pelas aventuras do Pato Donald, levou Asterix e Obelix à Patópolis. Outros prestaram tributo a Uderzo diretamente.

O resultado da coletânea, apesar de irregular consegue o feito de apresentar novas leituras aos personagens. Uderzo não poderia ter homenagem melhor. Nascido em 25 de abril de 1927, o desenhista criou ao lado do roteirista René Goscinny a série Asterix. Em 1961 lança o primeiro álbum da série, iniciando todo o universo de personagens famoso até hoje. Com a morte de Goscinny em 1977, Uderzo publicou os últimos nove álbuns sozinhos.

Asterix, enquanto conteúdo e negócio influenciou muitos artistas e ainda hoje surpreende. Mais de 30 anos, a série francesa ainda se mostra lucrativa e – diferente dos também longevos personagens Disney – ganhando mais e mais leitores. No Brasil, os livros são publicados pela editora Record.

NOTA: 8,0

Sem mais artigos