<3: Cartas de Kerouac e Ginsberg revelam mais da mente dos dois autores (Divulgação)

Jack Kerouac e Allen Ginsberg foram amigos durante 25 anos. E essa amizade teve reflexos decisivos na obra dos dois escritores, além do próprio movimento beat. As cartas trocadas entre esses dois ícones é publicada em livro no Brasil em edição da L&PM.

Organizada pelos editores Bill Morgan e David Stanford, a troca de correspondências começou em 1944, quando ambos eram bem jovens e foi até 1969, pouco antes da morte de Kerouac, aos 47 anos. As cartas trazem relatos de festas, viagens, escritos, assuntos banais, isolamentos, entre outros temas.

Para quem gosta da literatura beat, Jack Kerouac e Allen Ginsberg: As Cartas é um livro ideal para entrar na mente dos dois mais importantes autores do movimento – e da literatura americana do século passado. A edição brasileira teve tradução de Eduardo Pinheiro de Souza.
Um trecho:

Passei estes dois dias inteiros arquivando cartas velhas, retirando-as de velhos envelopes, juntando as páginas com clipes, colocando-as de lado… centenas de velhas cartas do Allen, do Burroughs, do Cassady, que poderiam fazer você chorar com os entusiasmos dos jovens… como nos tornamos lúgubres. E a fama mata tudo. Um dia, “As cartas de Allen Ginsberg para Jack Kerouac” vão fazer a América chorar. – Jack Kerouac, numa carta para Lawrence Ferlinghetti, 25 de maio de 1961

JACK KEROUAC E ALLEN GINSBERG: AS CARTAS
Jack Kerouac e Allen Ginsberg
[L&PM, 528 páginas, R$ 59]
Tradução: Eduardo Pinheiro de Souza

Sem mais artigos