Australianos requentam pop alegre do primeiro disco

ARCHITECTURE IN HELSINKI
Places Like This
[Polyvinyl, 2007]

O Architecture in Helsinki volta mais violento e pesado neste Places Like This, depois de flertar com o dream pop e o twee no seu primeiro disco, o elogiado In Case We Die. Não mudaram o som por completo, mas exploraram suas várias facetas, e neste novo trabalho mostram várias idéias interessantes.

“Heart It Races”, o primeiro single, com seus vocais angustiados, clima tenso e na na na na’s dá uma boa idéia que a banda autraliana ainda rende boas idéias. A pegada punk inofensiva continua nas demais faixas, com muito vocal, marca registrada da banda, que conta com nada menos que oito integrantes.

A banda parece buscar novos ares, mas está claro sua tentativa em soar espontânea e eficiente como o disco anterior. Ao fim de algumas audições, não encontramos o pop vigoroso de In Case We Die. Alguns arranjos que se repetem chegam a cansar o ouvinte.

A Austrália nunca foi promissora para lançar novidades da cena independente mundial e o Architecture In Helsinki foi a surpresa mais que bem vinda em 2005, quando surgiram. Os bons momentos deste disco mostra que o combo ainda tem muito a mostrar, mas sem conseguir superar o disco anterior, Places Like This é um requentado exercício de composições com um tempero ruim. Falta a criatividade e estranheza que fascinou antes. [Paulo Floro]

NOTA: 5,5

Leia Mais
Matéria: Melhores do Ano 2005 – In Case We Die (5° lugar)
Crítica: Cocorosie “Noah’s Ark

Sem mais artigos