A ÚLTIMA LISTA
Com uma idéia clichê, Antes de Partir, é um espetáculo visual que desperdiça background de Jack Nicholson e Morgam Freeman
Por Paulo Floro

Jack Nicholson e Morgam Freeman são dois sessentões com doenças terminais. O primeiro é dono de um hospital cujo lema é “dois leitos por quarto”. O segundo é um mecânico ascético, leitor de almanaques. Dessa amizade improvável nasce uma idéia de viajar pelo mundo para aproveitar os últimos meses de vida anunciado pelos médicos e realizar uma série de desejos, no que eles chamam de “a lista da bota”, daí o título original.

É este o mote de Antes de Partir, do diretor Rob Reiner, que pensou numa comédia dramática baseada em uma tema doloroso, como o câncer e até mesmo a morte. E, de fato, algumas cenas trazem um pouco de realismo e são duras, como as cirurgias dos dois personagens. Passado esse pequeno prelúdio, o longa resvala nos padrões industriais de se fazer comédia. Tudo parece correr no piloto automático neste filme, até mesmo os dois atores, veteranos vencedores de Oscar.

Nicholson, como o milionário Edward Cole usa um arquétipo conhecido de si mesmo. É como se pausterizasse antigas interpretações suas com um toque de sua própria personalidade. Encontramos muito aqui o seu Melvin Udall de Melhor É Impossível (1997). E como os personagens são rasos em sua construção e servem apenas para compor o enredo, Morgam Freeman não tem dificuldade em atuar o seu bom e velho “negro sábio com lições de moral a ensinar”.

poster.jpgDe roteiro óbvio, o filme tenta emplacar metáforas e divagações morais, tendo como pano de fundo espetáculos visuais. Os dois saem numa espécie de tour de luxo por paisagens como as pirâmides do egito ou o Taj Mahal, uma maneira encontrada pelo diretor em prender a atenção da platéia. Após algumas piadas e esquetes que acertam e outras nem tanto, agumas pessoas acharão o filme comovente. A questão principal não é nem mesmo sua recepção, e sim as razões para um desperdício de talento como o de Nicholson e Freeman.

ANTES DE PARTIR
Rob Reiner
(The Bucket List, EUA, 2007)

NOTA: 4,5

Sem mais artigos