Banda de Coimbra premia fãs incluíndo três inéditos no multifacetado e leve álbum de estreia

Da colaboração da Revista O Grito!, em Lisboa
_
Leia entrevista com a banda, em Lisboa

A melhor forma de definir “As Vidas dos Outros” assenta num conceito de diversidade musical aliado a um léxico de problemáticas actuais. Na arquitectura do disco, José Rebola e companhia desenvolveram uma animada panóplia onde convivem o banjo, cavaquinho ou o lap steel, entre outros, com uma elevada dose de humor irónico. Se “Lusíadas” é uma forma de questinar a portugalidade num festim movido a kazoo e teclado, “O Meu Coração”, o hit do álbum, com a participação de Ana Bacalhau, tira proveito da voz da cantora do Deolinda e de um contagiante ritmo de marcha popular. Pelo meio há sátiras de costumes, auto-confissões e até canções mid-tempo. Mas, em “Monstros”, os Anaquim assinam o seu grande momento, numa combinação perfeita de baixo, bateria, uma guitarra bluesy e a estrofe original: “Monstros com bocados a menos, com pecados a mais”. Os três inéditos incluem as versões de “A Morte Saíu À Rua”, de José Afonso, e de “Tom Sawyer”, e o medley instrumental “Sumário”.[Pedro Salgado]

ANAQUIM
A Vida Dos Outros
[Universal Music Portugal, 2011]

NOTA: 7,0

Sem mais artigos