Mais R&B, em seu primeiro disco, Amy Winehouse já mostrava personalidade autodestrutiva que a faria famosa

AMY WINEHOUSE
Frank
[Island, 2003/Universal, 2007]

amy-winehouse-frank.jpgA “maldição do segundo disco” é algo que permeia a tragetória de artistas iniciantes. Crítica e público esperam, sempre, uma espécie de superação ou algo inovador em relação ao primeiro CD e, em muitos casos, às expectativas acabam sendo frustradas. Amy Winehouse seguiu pelo caminho inverso ao do mainstream. Back To Black (2007), seu segundo e aclamado disco, alcançou todos os primeiros lugares e só agora chega ao Brasil o CD de estréia da musa “anti-rehab”, Frank (2003).

Em Frank já podemos perceber todo o talento e estilo que a cantora viria a amadurecer em Back To Black: a voz marcante, a musicalidade retrô e a personalidade depressiva e autodestrutiva que fez sua fama. Isso explica as boas críticas que o disco recebeu na Inglaterra, à época de seu lançamento. Com uma sonoridade menos elaborada que o segundo álbum, Frank flerta com mais intensidade com o R&B. Nesse quesito podemos destacar as inspiradas “Fuck Me Pumps”, “In My Bed” e “Stronger Than Me”, esta última a melhor faixa do CD.

O estilo de musas que influenciaram tanto Amy, como Ella Fitzgerald e Aretha Franklin está mais presente neste trabalho. “(There Is) No Greater Love”, onde Amy se declara para um amor idealizado é um bom exemplo disso. Arranjos de sopro e um violão que remetem a Bossa Nova estão presentes na ótima “I Heard Love Is Blind”, onde em versos como “What do you expect” / “You left me here alone” / “I drunk so much and i needed to touch” (O que você espera? / Você me deixou sozinha / Eu bebi demais e precisava tocar (em alguém). A cantora se justifica por cometer uma traição não intencional.

A boa notícia para o público brasileiro é que Frank será lançado pela Universal no formato “Music Pac”. O novo formato, que busca driblar as baixas vendagens dos últimos tempos, tem uma apresentação gráfica mais simples e não possui encarte. Entretanto, o produto vem com todas as músicas e estará nas lojas pelo preço sugerido de R$ 14,90.

Frank mostra ao longo de suas 13 faixas que Amy Winehouse não é um fenômeno pop passageiro e que a qualidade de sua música só tende a evoluir em novos trabalhos. Mas isso agora só depende dela própria. [Gilberto Tenório]

NOTA: 8,0

Sem mais artigos