HORROR NO ESPAÇO FAZ ANIVERSÁRIO
Antes de criar sua obra-prima, Blade Runner, Ridley Scott lançou as bases para a crueldade alienígena com Alien – O Oitavo Passageiro, que completa 30 anos
Por André Azenha

Depois de comemorarmos os 70 anos de O Mágico de Oz e as bodas de prata de Karatê Kid este ano, é a vez de celebrarmos as três de décadas do filme que levou a ficção científica a realmente assustar o público: Alien, o 8º Passageiro.

A trama começa com a nave espacial Nostromo que, ao voltar a Terra, recebe estranhos sinais vindos de um asteróide. Quando vai investigar o fato, um dos tripulantes é atacado por uma criatura estranha, que utiliza seres humanos como hospedeiros para procriar.

O incidente, que parecia isolado, transforma-se num terror quando o tripulante retorna à nave carregando, dentro do corpo, o embrião de um alienígena que não para de crescer e visa exterminar a tripulação.

Alien marcou época por uma série de fatores. É um filme de ficção, mas também é suspense e terror. Foi o longa que rompeu com a era dos extraterrestres “bonzinhos” no cinema, graças principalmente à figura do título, assinada pelo artista surrealista H. R. Giger, que fez, finalmente, um ser que não fosse humano soar realista.

Além disso, serviu para catapultar as carreiras de seu diretor Ridley Scott, e da atriz Sigourney Weaver.

Scott não era o escalado para dirigir a obra, mas precisou substituir Waltter Hill, que no mesmo ano fez Os Selvagens da Noite e depois seria diretor de fitas cult dos anos 1980, como 48 Horas (1982, com Nick Nolte e Eddie Murphy) e Ruas de Fogo (1984, estrelado por Diane Lane e Rick Moranis).

A forma como a trama é desenvolvida pelo irmão de Tony Scott cria a tensão necessária para prender a atenção do espectador e deixá-lo temerário sobre o que pode acontecer com os tripulantes.

Ajudado por ótima equipe técnica, concebeu um visual surpreendente, que mesmo trinta anos mais tarde jamais soa datado. Merecidamente, o filme foi premiado com o Oscar de Efeitos Visuais e indicado à estatueta de Direção de Arte. E ainda saiu vitorioso no Bafta (Trilha Sonora e Produção de Design) e na Academia de Filmes de Ficção Científica, Fantasia e Terror dos EUA (Filme de Sci-Fi, Direção e Atriz Coadjuvante, para Veronica Cartwright ).

Pouco depois, em 1982, o cineasta confirmaria seu talento em outro clássico da ficção científica, Blade Runner, eventualmente considerado o melhor filme do gênero na história do cinema, em páreo duro com 2001 – Uma Odisséia no Espaço.


Da esquerda para direita: Ian Holm (Ash), Harry Dean Stanton (Brett), Sigourney Weaver (Ripley), Yaphet Kotto (Parker), Tom Skerritt (Dallas), Veronica Cartwright (Lambert,) e John Hurt (Kane)

Curiosamente, Sigourney Weaver também não era a atriz escolhida pelos produtores quando o projeto começou a ganhar vida. No primeiro roteiro, o personagem Tenente Ripley era homem. Depois, quando virou uma figura feminina, seria interpretado por Veronica Cartwright. Só depois que o nome de Weaver foi definido para interpretar Ripley.

Os coadjuvantes também têm ótimas interpretações. Desde John Hurt (ganhador do Globo de Ouro um ano antes por O Expresso da Meia-Noite), até a própria Veronica Cartwright.

Alien, o 8º Passageiro virou cult e franquia, com três continuações: Alien – O Resgate (1986, de James Cameron), Alien 3 (1992, de David Fincher) e Alien – A Ressurreição (1997, de Jean-Pierre Jeunet).

O personagem-título foi eternizado, e marcou presença posteriormente até em gibis do Batman (que influenciaram um cultuado curta-metragem de Sandy Collora, Batman Dead End, onde o herói confronta o Coringa, Alien e o Predador), e em dois encontros toscos e caça-níqueis com o Predador (Alien vs. Predador, 2005, e Alien vs. Predador 2, 2007).

No mercado nacional existem algumas edições do filme em home vídeo. Mas a melhor de todas é a que tem toda a quadrilogia, que vem em bela embalagem, possui folheto extremamente bem elaborado, os filmes em suas versões originais do cinema e em versões dos diretores, comentários de equipes técnicas e vários documentários bacanas.

Em 2009 também foi noticiado que Ridley Scott vai dirigir a história inicial de Alien, com os eventos que acontecem antes do primeiro filme da série.

Sem mais artigos