Divulgação

Em sua página no Facebook, Alanis Morissette escreveu: “Estou muito empolgada pra voltar a um dos meus lugares favoritos no planeta! Tenho um caso de amor não-tão-secreto com vocês e mal posso esperar para voltar. (com músicas novas, novo set list e um novo capítulo marcado por esse álbum)”. Alanis estava falando do Brasil, país que escolheu para iniciar em setembro a turnê de lançamento do seu novo álbum Havoc and The Bright Lights – que entra em pré-venda no dia 24 de julho e chega às lojas em 28 de agosto pela gravadora brasileira Lab 344.

Serão oito shows em sete cidades: São Paulo (2 e 3), Curitiba (5), Rio de Janeiro (7), Belo Horizonte (9), Recife (12), Belém (14) e Goiânia (16) e os ingressos já estão disponíveis no Tickets For Fun.

Em entrevista ao Globo, Alanis falou um pouco sobre o álbum: “Meu objetivo na vida é ser abrangente. Não só ser boa, mas dar conta de tudo. Sou geminiana, gosto da luz e das sombras, das dualidades, das contradições. ‘Destruição’  [havoc] é o desafio, o vício, a recuperação e as dificuldades. ‘Luzes brilhantes’ [bright lights] são ideias sobre a fama e o espírito. Em nosso interior, todos somos luz. Em ‘Guardian’, eu falo do meu filho e, também, sobre a relação comigo mesma, sabendo que tenho que ser uma mãe para a criança que tenho dentro de mim. ‘’Til you’ é uma canção de amor para o meu marido, sobre compromisso. E há uma outra canção, ‘Win and win’, que fala de todos os conflitos: profissionais, corporativos e pessoais. É quando você descobre que o futuro tem que ser meio a meio, ou não há negócio.”

Ainda que a turnê propriamente dita comece apenas em Setembro, Alanis já vem promovendo o álbum em shows pela Europa onde apresenta algumas de suas novas músicas que além do single Guardian, incluem a roqueira Numb, a balada Havoc e  Woman Down, que apesar do ritmo dançante, traz  uma letra pesada sobre misoginia.

Em sua página, Alanis divulgou a letra da música e o vídeo ao vivo gravado em Manchester, que você confere a seguir. [Renata Arruda]

Woman Down
First woman down was your mother
She did condone how you behave
All you could see was your father
His disrespect was in her face
Next woman down was your sister
Her silence did corroborate
She took her cues from the climate
And never knew another way

Who do you take me for

Calling all woman haters
We’ve lowered the bar on the
Behavior that we will take –come on now
Calling all lady haters
Why must you vilify us
Are you willing to clean the slate? –woman down

Next woman down was your lover
She takes your spite at value face
Even her hair length and color
Gives you the impulse to repeat

Who do you take me for

Calling all woman haters
We’ve lowered the bar on the
Behavior that we will take—come on now
Calling all lady haters
Why must you vilify us
Are you willing to clean the slate?—woman down

Next woman down is your daughter
A stranger to being debased
She has a new lease and limit
On the abuse she’ll tolerate

Who do you take me for

Calling all woman haters
We’ve lowered the bar on the
behavior that we will take—come on now
Calling all lady haters
Why must you vilify us
Are you willing to clean the slate?—woman down

Sem mais artigos