Adult. (Foto:	John Goetzinger/ Flickr)

ADULT
Gimme Trouble
[Thrill Jockey, 2005]

O Adult. é uma resposta para aos questionamentos sobre se o electro punk ainda pode render bons frutos. Se bem que, como demonstra este novo trabalho da dupla, não se pode enquadra-los exatamente neste estilo. Na verdade não podemos enquadra-los em estilo algum. É incrível como o Adult. ainda continua meio obscuro no cenário pop, mesmo sendo badalado em festas alt/indie/electro por aí.

No início foi jogado junto à bandas como Ladytron para urgentemente serem enquadrados à um movimento. A banda no entanto está muito mais próxima das sonoridades de sua cidade natal Detroit, do que à estetica electroclash. Misturando new wave, synth pop, punk rock e toda a sorte de barulhos, o casal Nicola Kuperus e Adam Lee Miller, são conhecidos combatentes do mundo rock, donos do selo Ersatz Audio, onde já fizeram vários remixes para bandas como Death In Vegas e Fischerspooner. Desde que sua música mais (ou menos) conhecida “Hand To Phone” foi lançada até este Gimme Trouble, a banda experimentou muito, passando por inúmeras vertentes e tendências. Dizem que quase se tornaram uma outra banda.

Neste disco é clara a intenção de Kuperus, também produtor do álbum, de buscar uma sonoridade que se afaste de suas viagens anteriores. Talvez por isso à uma primeira audição essa busca alcance um nível de neurose. Mas é algo nervoso mesmo. E isso é muito difícil de se fazer, mesmo que para muitos, fazer um monte de loucuras, colagens possa parecer fácil. Gimme Trouble tinha tudo pra ser um disco chato. É tudo uma questão de manter os ouvidos disponíveis à um som que sintetiza de maneira até um pouco caótica de tudo um pouco, de guitarras new wave devonianas à cinismo punk.

Você pode ouvir um estridente baixo mal tocado aqui, depois um vocal feminino cantado com um abuso tremendo,passando por climas soturnos meio Siouxie and the Banshees, ou um sintetizador demente martelando. Não há uma música a citar para linkar o álbum a algo feito, de modo a ajudar a audição, por que oras, é essa a função de uma resenha. É escutar tudo mesmo. O que talvez possa retirar um pouco o Adult. na esfera pop mais habitual, é sua música não-convencional, tanto na forma quanto no conteúdo e referências.

Pra quem já ouviu o Anxiety Always (trabalho anterior da banda) ou guarda algumas mp3 do grupo, o Gimme Trouble é um presente saboroso mas, ainda assim nada fácil. E para aqueles que por um momento enquadraram a banda a um movimento eletrônico fashion ou o relacionaram à um momento Detroit-pós-Jack White, precisam mesmo ouvir este disco. Para se assustarem. [Paulo Floro]

NOTA: 8,0

Sem mais artigos