Foto: Andrea Rego Barros/Divulgação.

Foto: Andrea Rego Barros/Divulgação.

O músico da Zona da Mata de Pernambuco, Adiel Luna lançou novo disco este mês, Baionada. No trabalho ele dá nova roupagem ao toque da viola, às rimas de cordel, coco, ao canto do aboio e outros elementos da cultura popular que o acompanham desde a infância.

Baionada reflete o amadurecimento artístico de Adiel Luna, que contou com os músicos Juliano Holanda e Areia na produção do disco. O projeto é um mergulho nas formas de expressão da cultura popular e tradicional, trazendo músicas feitas por Adiel e mesclando características singulares da sua identidade com contextos nordestinos: paisagens, religiosidade, cotidiano, histórias e sonoridades pernambucanas.

“Esse trabalho é a realização de um sonho. Eu queria um disco de cultura popular, mas que musicalmente trouxesse outras referências. A ideia é que mesmo a pessoa que não escuta a cultura popular perceba o esmero com o trabalho. Uma hora eu canto, uma hora eu declamo, outra hora eu puxo um coco, mas tudo isso muito costurado musicalmente”, conta Adiel.

Fazem parte da banda para o Baionada os músicos Rubem França (violão de oito cordas), Eduardo Buarque (viola de 10 cordas e violão tenor), Thiago Martins, (rabeca), Uana Mahin (percussão e vocais), Johan Bremer (percussão) e Rodrigo Félix (percussão).

O nome do CD, Baionada, é uma referência às festas do sertão, um momento dedicado ao baião, ao improviso, à cantoria de viola. O equivalente às sambadas da Mata Norte. E esse festejo conta com as participações especiais de Arnaldo Ferreira, que além de repentista e cantador de viola é pai de Adiel; Valéria Wanda, Assis Calixto (Coco Raízes de Arcoverde), Terno de Areia, Júlio Cesar, Daniel Coimbra, Rudá Rocha e João Arruda, violeiro de Campinas (SP).

Ouça o disco:

Sem mais artigos