A Vida Secreta, de Karim Aïnouz, foi o escolhido da Academia Brasileira de para representar o Brasil na corrida pelo na categoria melhor filme internacional (antes chamada de “filme estrangeiro”).

O anúncio foi feito nesta terça (27) na Cinemateca Brasileira, em São Paulo. A diretora da comissão da Academia, Anna Muylaert, disse que a disputa foi acirrada com . O longa de Kleber Mendonça Filho teve quatro votos enquanto o de Aïnouz teve cinco.

Muylaert escolheu Bacurau, mas foi voto vencido. No entanto, ela disse que o debate foi “de alto nível”. Os votantes teriam levantado questões como a maior presença de em Hollywood e a presença no elenco de Fernanda Montenegro (indicada ao em 1999 por Central do Brasil).

Já um outro grupo teria preferido Bacurau como forma de demonstrar uma mensagem política de resistência.

Os dois longas tiveram presença no Festival de Cannes, de onde saíram com prêmios. (até então chamado de A Vida Secreta de Eurídice Gusmão) venceu o prêmio principal da mostra Un Certain Regard, conquista inédita para o Brasil.

A estreia do longa está prevista para 19 de setembro no Nordeste, e 31 de outubro no restante do Brasil. O filme traz no elenco Fernanda Montenegro, Julia Stockler e Gregorio Duvivier e mostra a história de Guida e Eurídice, duas mulheres que tem as vidas entrecruzadas a partir de suas diferenças e semelhanças. Separadas após diversas atitudes do destino, elas decidem fazer de tudo para se encontrar novamente.

Bacurau saiu de Cannes com o Grand Prix, um dos principais do evento. O longa se passa em uma cidadezinha do interior que tem seu cotidiano mudado após a morte de sua anciã. O filme já estreou no Brasil.

Esta é a segunda vez que Kleber Mendonça fica fora da corrida do Oscar. Seu filme anterior, Aquarius, ficou de fora em detrimento de O Pequeno Segredo, de David Schürmann, o que levantou o debate de um boicote por parte do governo, uma vez que a equipe do longa protestou contra o golpe contra Dilma Rousseff no tapete vermelho em Cannes.

O Brasil já foi indicado quatro vezes ao Oscar de filme estrangeiro: O Pagador de Promessas (1963), O Quatrilho (1996), O Que é Isso Companheiro?” (1998) e Central do Brasil (1999), mas nunca venceu.

O Brasil tem ainda indicações em animação, canção original e até direção, seja com produções totalmente nacionais ou coproduções.

A indicação de A Vida Invisível é uma escolha oficial do país para a categoria de filme internacional. No entanto, o longa ainda deverá ser selecionado pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, que divulgará a lista final dia 13 de janeiro.

A cerimônia do Oscar acontece dia 9 de fevereiro, nos EUA.

Sem mais artigos