Uma das maiores lendas do punk rock, a banda tem retorno confirmado ao Brasil em maio na quarta passagem do grupo pelo país. Mas o que chamou mais atenção foi o cartaz da turnê que traz uma crítica à classe média brasileira e a violência policial.

O autor do cartaz é o alagoano , que já assinou artes para bandas como L7 e Ratos de Porão. O desenho viralizou e chegou aos assuntos mais comentados na web e foi bastante associado ao presidente Jair Bolsonaro por conta da família fantasiada de Bozo. “Eu amo o cheiro de gente pobre morta de manhã”, diz um dos membros no desenho. Segundo Suarez, em entrevista ao UOL, a arte não foi feita diretamente como crítica a Bolsonaro, mas à classe média e o culto às armas. “Queria mais criticar o estereótipo da classe média brasileira, que adotou a cultura do armamentismo, que louva armas e acha que é possível resolver tudo na base da bala, que acha que o exército deve cuidar da segurança pública”, disse Suarez.

Formada atualmente por Skip McSkipster (vocal), East Bay Ray (guitarra),Klaus Floride (baixo) e DH Peligro (bateria), a Dead Kennedys virá ao Brasil em uma turnê especial que celebrará os 40 anos desta lenda tocando clássicos eternos tais como “California Über Alles”,”Holiday in Cambodia”, “Nazi Punks Fuck Off” e muitos outros com passagem garantida pelas cidades do Rio de Janeiro (23/05), São Paulo (25/05), Brasília (26/05) e Belo Horizonte (28/05), em uma turnê promovida pela EV7 Live.

A banda Garotos Podres é convidada especial na abertura em três das datas.

Sem mais artigos