É curioso que um escritor que nunca tinha lido nenhum livro em português nem falava uma palavra na língua quando chegou ao Brasil, consiga se sentir tão à vontade na ficção quanto Contardo Calligaris. Italiano radicado no Brasil há 25 anos, ele lança seu segundo romance, A Mulher de Vermelho e Branco pela Companhia das Letras. Psicanalista e colunista da Folha de S. Paulo, Contardo é novato no texto ficcional. Conhecido por seus trabalhos acadêmicos e livros na área de psicologia, ele diz recuperar o tempo perdido. E tem tido sucesso na empreitada. Seu romance anterior, Contos do Amor, foi um sucesso de crítica e muito bem recebido pelo público. Vai ganhar uma adaptação para os cinemas pelos mesmos produtores de Bruna Surfistinha. Neste novo trabalho, ele retoma seu protagonista Carlo Antonini, que se vê envolvido com duas mulheres misteriosas numa trama entre Nova York, São Paulo e Paris. A história ganha contornos autobiográficos numa narrativa cheia de ação. É uma leitura agradável, como seus textos semanais na Folha. Desta vez, com thriller de ação, o que torna tudo ainda melhor.

A MULHER DE VERMELHO E BRANCO
Contardo Calligaris
[Companhia das Letras, 208 pags, R$ 39]

Sem mais artigos