POR UMA NOVA FÓRMULA, SEMPRE!

Se no passado tudo girava em torno de um template simples hospedado no Blogspot, hoje a busca pela sofisticação e aperfeiçoamento é nosso lema. E não adianta falar em inconstância. Aqui na Revista O Grito!, nosso sentimento de progresso é constante para que assim possamos tanto discurtir o jornalismo cultural, quanto apresentar e resenhar aquilo que realmente vale a pena ser visto e é digno de render horas em conversa de bar. E por isso apresentamos a nova cara da revista nesta edição de número setenta.

Quem desenvolveu o novo leiaute foi o nosso designer/webmaster Wagner Bethoveen. Ele herdou do musicista homônimo o talento e o autodidatismo, mas o aplica para aquilo que é visual e não auditivo. E as escolhas foram as melhores possíveis. Ao invés do preto, o branco. Ao invés da curva, a reta. Cai o efusismo das cores e entra em cena o minimalismo e os espaços em branco como a melhor forma de comunicar e ler na web. Com esse novo padrão, a quantidade de textos diminuem, mas nossa nova ordem é noticiar menos, para noticiar melhor, com mais rigidez, mais embasamento e preciosismo. No antigo modelo, a revista chegava a ter 30 textos por edição. Um esforço homérico de nosso time. Hoje temos nove matérias/reportagens/críticas por semana, além das seções e das notícias diárias, que agora ganham reforço. Também vamos aumentar a interação com os leitores, promovendo concursos culturais (como esse de Watchmen, que já está no ar) e incentivando a audiência a nos mandar novidades, notícias, enfim, nos pautar.

A logomarca também mudou, mas esta é obra do designer César Mafra. Dono de um talento mordaz para as artes visuais, foi ele que deu a verdadeira cara àquilo que sempre desejamos transmitir: solidez, pensamento pulsante e flexibilidade. Está tudo expresso na fonte, na cor e no “novo” jeito de nossa marca registrada: a exclamação.

Tivemos uma mudança em nosso expediente também. Ganhamos novos editores, gente que vai colocar a mão na massa para elencarmos pautas legais, novas idéias e imprimirem o peso da experiência sobre aquilo que antes era sentido no empirismo. Alexandre Figueirôa (doutor em cinema) e Luiza Lusvargh (pós-doutora em comunicação) são esses dois novos editores que de colunistas passam atuar com força total. Ganhamos também mais uma colaboradora mega experiente: Danielle Romani. Direto do Correio Braziliense, ela vem somar ao time dos repórteres fanáticos por quadrinhos e traz na mala uma lista boa de novas fontes.

Bem, é isso!
Aproveitem! Leiam! Critiquem! Mandem e-mail! Aqui, a casa é dos leitores.

Os editores.

Sem mais artigos