ELEGIA AO INDIE

O grupo Alfaiataria, responsável pelo site Pop Balões, promove prêmio para mostrar o talento dos independentes
por Paulo Floro

Houve um tempo em que fanzines eram sinônimos de publicações de baixa qualidade, relegadas à um amadorismo que por vezes beirava o risível. No atual mercado, novos quadrinhistas buscam revelar seus trabalhos em produções independentes. Para incentivar cada vez mais a produção desse tipo de material, a Alfaiataria está lançando a primeira edição do seu Troféu de Fanzines. A proposta é, além de ser um incentivo para os vencedores em si, ajudar a divulgar os fanzines que estão sendo produzidos e, acima de tudo, tratá-los com o respeito que merecem.

Ao contrário dos outros prêmios que recebem votações, o Troféu Alfaiataria formará uma banca de especialistas que irão analisar os fanzines e avaliá-los como um material profissional. O prêmio está sendo divulgado no site Pop Balões.

As categorias serão: Desenhista; Roteirista; Editor (análise das atribuições pertinentes ao editor); História (análise de história indivualmente); Fanzine de Quadrinhos (análise da revista como um todo); Fanzine sobre Quadrinhos; Revista Independente.

Fanzine é a melhor forma do quadrinhista se mostrar. Com este prêmio todos os fanzines terão seus trabalhos resenhados e as críticas serão publicadas no Universo HQ. Zé Oliboni, um dos responsáveis pelo prêmio acredita da importância da crítica no desenvolvimento desses artistas. “Conversando com o Jozz (desenhista e pesquisador) e com o pessoal da Quadrinhópole eu percebi a importância da crítica para o crescimento deles, a importâcia de alguém pegar e falar: Olha isso é legal, mas você tem que melhorar essa página, esse desenho está um merda, essa
história não acabou direito. E é isso que a gente quer fazer, divulgar, conhecer e enviar críticas de uma banca muito especializada para os participantes, para que eles cresçam.”

Além do troféu e do certificado, o principal prêmio será mesmo ter o trabalho mostrado e divulgado, além da visibilidade que cada artista recebe. O trabalho será divulgado no Pop Balões, além dos participantes receberem emails breves com críticas sobre o trabalho.

A categoria Revista Independente existe por ser considerada pela organização como uma evolução do Fanzine. Ainda teremos uma premiação paralela, feita por votação de leitores para quadrinhos publicados na internet.

MERCADO
Com tantos bons profissionais de quadrinhos escondidos por vários fanzines, como o Brasil pode ter uma produção tão pequena de títulos nacionais publicados por aqui?

É uma deficiência do mercado enxergar esses profissionais? “O mercado não é cego, mas usa tapadeira e óculos escuro. Não basta ser bom, não basta fazer fanzines, você tem que lutar, tem que divulgar o seu zine, espalhar
para todo o lado a notícia de que você trabalha.”, afirma Zé Oliboni na conversa por email com O Grito!. Recentemente, várias publicações independentes e fanzines chamaram a atenção da crítica, como Homem-Grilo, de Cadu Simões, Chuva Contra o Vento, de Felipe Cunha e o rodrigo Alonso e Napalm Comics!, de Pablo Casado. “Eu levava isso para o Diego (Figueira, do coletivo Alfaitaria) e a gente ficava espantado com a qualidade do material.”, afirma Oliboni.

Fanzine não dá lucro, mas dá resultado. Com o prêmio Alfaiataria, os organizadores querem deixar claro que fanzine é antes de tudo a melhor maneira de aprender, de conseguir espaço. “O fanzine é uma escola, um estágio. O cara faz zines, divulga e vai ter um retorno, demora, mas se ele trabalhou direitinho vem.” E Oliboni ainda dá um recado para os fanzineiros. “Você tem que pegar seu material e levar de editora em editora, contato em contato. Se ninguém publicou, mas você viu que pessoas gostaram, se esforça, rala, consegue um patrocínio e faz uma Revista independente e começa tudo de novo divulgando e conversando com pessoas.”

A importância de um troféu para fanzines é mostrar ao mercado que muita coisa boa anda acontecendo. Com a expansão do número de títulos e a diversidade que temos hoje em bancas e livrarias, é provável que um prêmio como esse, aumente a longo prazo, as chances de algum trabalho nacional, saído de um fanzine, seja publicado. “O mercado é difícil e o mercado raramente vai enxergar a não ser que você esfregue na cara dele. É triste, mas é verdade. Os ganhadores de um Troféu como o nosso vão ter uma grande exposição entre o meio dos quadrinhos, vamos fazer de tudo para que os nomes deles sejam ouvidos nos quatro cantos, contudo o Troféu é mais para o cara ter um retorno, saber que ele é realmente bom e que ele vai ter que lutar pra caralho, mas que vale a pena fazer isso porque ele é bom.”

FIQUE LIGADO
Poderão se inscrever Fanzines e Revistas independentes publicadas de 01 de Janeiro de 2005 a 31 de Dezembro de 2006, a inscrição é gratuita, bastando que se envie a Ficha de inscrição e 3 vias do Fanzine para Caixa Postal 12986 CEP 04010-970.

As inscrições se encerram no dia 30 de Março de 2007 e a entrega do Troféu será no dia 22 de Junho na Quanta Academia de Artes.

A 1° Troféu Alfaiataria de Fanzines é dedicado à memória de Joacy Jamys, o eterno fanzineiro e amigo que faleceu no final de 2006. Maiores informações, ficha de inscrição e regulamento completo no site Pop Balões e na página do troféu, dúvidas pelo e-mail: alfaiataria@gmail.com e popabaloes@popbaloes.com

Sem mais artigos